Implantodontia

Implantodontia

Como funciona o implante?

De maneira geral são necessárias 02 fases para repor o dente perdido. São elas:

1° Fase – Cirúrgica – um parafuso de titânio (metal altamente inerte com baixo risco de rejeição) é instalado dentro do osso maxilar (superior) ou mandibular (inferior), a fim de repor a raiz perdida.

Geralmente, este implante precisa permanecer sem carga de mastigação por alguns meses, para que ocorra a osseointegração (integração do parafuso de titânio no osso).

2° Fase – Protética – Após o período de osseointegração, uma pequena cirurgia na gengiva é efetuada para expor a parte superior do implante, onde são conectadas peças especiais que irão manter a coroa de porcelana (ou outro material estético) ligada ao implante.

Eu fico sem dentes durante o período de osseointegração?

Existem várias possibilidades provisórias de manter a sua liberdade de sorrir, desde uma prótese removível, um aparelho ortodôntico que contenha os dentes perdidos ou até mesmo uma prótese adesiva.

Eu posso colocar dentes imediatamente após a cirurgia de implantes?

Em casos específicos, bem indicados, onde haja qualidade e quantidade óssea adequadas e com a utilização de implantes especiais (com superfície tratada) muitas vezes pode-se fazer próteses imediatas sobre implantes. Contudo, muitos fatores serão avaliadas pelo especialista e você deve seguir suas recomendações.
Muitas vezes, essa prótese imediata é provisória e deve ser trocada após o período de osseointegração (em geral, 4 meses para mandíbula e 06 meses para maxila).

E se eu não tiver osso suficiente para fazer implantes?

Com a evolução das pesquisas, hoje já é possível nas áreas pobres em osso fazer-se enxertos ósseos.

Quanto tempo dura um implante?

As visitas de manutenção periódica ao dentista são imprescindíveis para o sucesso clínico do tratamento.
Nessas manutenções o dentista irá averiguar a higienização e fazer reorientação, fazer “limpezas” avaliar a oclusão, pois desgastes são normais e novos ajustes precisam ser feitos com o passar do tempo.
Ele também pode fazer alguma troca de parafusos ou conexões das próteses se achar necessário.
A substituição das próteses no tempo adequado também deve ser efetuada a fim de não provocar sobrecarga sobre os implantes. A manutenção de saúde geral também é importante, pois doenças metabólicas, como a diabete descompensada pode comprometer a longevidade dos implantes dentários.

Ainda há grande possibilidade da rejeição dos implantes?

Com o avanço do conhecimento sobre materiais dentários e respostas biológicas, hoje, já é possível com alto índice de sucesso e menores riscos de rejeição implantar-se desde um elemento dentário até uma boca inteira.

11 copy 1